fb (1) youtube (1)

Hangar 193 site

Luiz Martins

AIR SQUAT - Movimentos Fundamentais do CrossFit | Hangar 193

Sabe o que é Air Squat? Se sim, sabe como fazê-lo perfeitamente? 

Assista ao primeiro vídeo da série "Movimentos Fundamentais do CrossFit" para te ajudar!

 

 


Tags:
Luiz Martins

Gravidez, vida de mãe e o CrossFit

Um relato da nossa atleta Dani Nogueira

151129_BRAZILIAN_GAMES_CF_RM_0737-EDIT

Nossa atleta e coach, Dani Nogueira, contou um pouco sobre os dilemas de manter os treinos de CrossFit durante a gravidez e como foi seu retorno às competições após o nascimento da Luna.

Como tudo começou...

Dani começou no CrossFit no final de 2011 mas ele passou a ser definitivamente seu esporte favorito em meados de 2012. “Então eu engravidei em dezembro de 2015, mas só descobri em fevereiro de 2016. Até então estava treinando normalmente. Quando descobri, fui em uma consulta médica e, tendo em vista meus exames, meu tempo de prática de CrossFit e meu histórico esportivo o médico me autorizou a treinar normalmente - desde que eu permanecesse“ouvindo” meu corpo”.

Gravidez e o CrossFit

No início, a crossfiter cortou de sua rotina apenas os exercícios de trabalho direto na região abdominal (GHD) e também a corrida. “Parei pois já que corremos na rua, com terreno irregular, possíveis quedas são comuns”, explica Danielle. Conforme a gravidez foi caminhando, fomos fazendo as adaptações necessárias de exercícios, cargas, volume, etc.

Agora, competir grávida não foi uma preocupação! Nem da atleta e nem de seus coachs, que já que conheciam seu perfil e histórico de atividades físicas. “A única competição em que participei durante a gravidez foi o Open, realizado no próprio box e com resultados postados online”, explica Dani.

Saúdavél e feliz com essa rotina, a atleta ouviu muitas críticas de algumas pessoas que não enxergavam a prática positivamente. “Eu estava trabalhando abaixo da minha real capacidade, só que para os que assistem de fora aparentava muitas vezes que eu estava exagerando. E não estava! Por isso, ouvir muitas críticas sim.” A esportista reforça que todo esse período de treinos foi com aval médico e sob supervisão dos nossos excelentes coaches, que já a acompanhavam anteriormente e continuaram trabalhando com ela durante essa fase.

WhatsApp Image 2017-10-10 at 09.33.09


Mas isso não a abalou nenhum pouco já que, com certeza, o CrossFit trouxe muitos benefícios para sua gravidez. “Toda a minha preparação física anterior, bem como o que realizei durante a gestação foram de muita influência nos “sintomas” da gravidez. Fiquei isenta de muitas das queixas mais comuns entre as mulheres nesse período: inchaço, cansaço, dores nas pernas, dores nas costas”, conta.

Inclusive, a atividade física a ajudou muito nos períodos que teve enjoos e a manter a capacidade de executar a maior parte das minhas atividades regulares do dia-a-dia, pois a deu mais disposição. “O CrossFit, por ser bastante adaptável, possibilitou me manter ativa até o parto e, por reproduzir movimentos funcionais do dia a dia, me ajudou a continuar executando tarefas simples que as grávidas acabam tendo maiores dificuldades (sentar e levantar de lugares baixos e até do chão, amarrar meu tênis, colocar os sapatos)”, exemplifica Dani.

Ainda sobre as náuseas, Dani revela que elas mais apareciam nos dias que não tinha treinado. “Como tive um acompanhamento nutricional com a nutricionista Andreia Naves (que também cuida da minha alimentação para os treinos e performance), ela me acompanhou mês a mês durante a gestação e o que mudou foi a substituição dos suplementos para suporte esportivo pelos suplementos de suporte a gravidez e também uma dieta um pouco mais “livre”, sem restrições (como glúten, lactose, mais carbo ou menos)”, revela. A ordem era comer o que a fazia bem, mas sempre prezando pela qualidade.

 

WhatsApp Image 2017-10-25 at 12.22.24

A volta aos treinos após o bebê

Nossa atleta conta que, durante a gravidez, toda sua preparação foi feita para que o parto fosse normal, mas por algumas complicações teve que realizar uma cesárea, o que a manteve um pouco mais de tempo afastada do box. “Voltei a fazer treinos leves de CrossFit 2x a 3x por semana com 2 meses e meio (aproximadamente), em dezembro de 2016. Mas, falando de coração aberto, foi bem difícil esse retorno. Eu estava muito contente em voltar às atividades físicas, a retornar ao box (aos poucos), mas o meu corpo estava desacordado. A cabeça tinha um ritmo e o corpo respondia de forma completamente diferente”, desabafa Dani.

Nos primeiros dias, a nova mamãe sentia como se nunca mais fosse conseguir executar os movimentos e trabalhar com as cargas que trabalhava. “Mas aos poucos o meu corpo foi recuperando a memória, fui recuperando força, conseguindo recuperar as habilidades anteriores. A parte de core foi sendo “acordada”, recebendo estímulo e recuperando sua funcionalidade. Mas isso tudo com muita paciência (constantes conflitos com a cabeça), trabalho direcionado (pilates e fisioterapia) e foco no objetivo”, conta.

 

150906_TCF2015_XPRO1-1925

O retorno às competições

Dani Nogueira fez sua primeira competição em time, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2017, no Monstar Games - Etapa São Paulo. Em seguida, fez o Open CrossFit Games, fase online realizada em 5 semanas. Sobre esse retorno, a atleta explica que ter organização nos horários de treino é fundamental. “Tenho a facilidade da Luna poder me acompanhar no box (e estar acostumada com isso) e de ter pessoas a minha volta que ajudam a cuidar dela (fazendo revezamentos durante os treinos), o que me ajuda muito a organizar a rotina de treinos com as tarefas de mãe.

Logo após o nascimento da Luna, Dani iniciou um planejamento alimentar voltado para a recuperação corporal aliado à amamentação. E mesmo com a volta aos treinos e competições o foco foi mantido no aleitamento até a bebê parar de mamar (entre 8 e 9 meses). “Agora tenho períodos diferentes de planejamento alimentar que acompanham as diferentes fases de treino e os objetivos competitivos. No início senti muita diferença, de tônus, musculatura e principalmente resposta do core. Hoje já recuperei senão 100%, estou quase lá. A barriga é o que mais demora a voltar, mas faz tudo parte do processo”, revela.

 

WhatsApp Image 2017-10-23 at 15.37.55 

O CrossFit é para todas!

O sedentarismo pode ser considerado como a “doença” do século e têm inúmeras consequências que podem impactar negativamente na sua saúde. Procure uma atividade que te faça bem e que te traga felicidade e o CrossFit pode ser uma ótima escolha! “Como uma apaixonada pelos esportes, posso dizer que o esporte traz efeitos não só para a sua saúde, mas para a sua vida. Se você ainda não encontrou algo que te conquistou ou se já encontrou mas quer coisas novas, dê uma chance ao CrossFit (mas vá de cabeça aberta para conhecer, sem pré-julgamentos). Você vai se apaixonar por essa comunidade e por tudo o que ela pode fazer por você!”, recomenda Dani, principalmente para as mulheres e mamães.


Tags: